• Letícia Kawano-Dourado

Mortalidade Global por armas de fogo, 1990 - 2016

Artigo da coleção Firearms do JAMA.


Esse é um post que complementa o post anterior e faz parte da coleção Firearms do JAMA Medical Journal, porque sim mortes violentas são um assunto médico. Tanto interessam ao médico que atende às vítimas quanto ao epidemiologista que pensa soluções para os problemas da sociedade. Então vamos olhar esses dados interessantíssimos publicados em 2018 e que são os dados mais completos sobre lesão por armas de fogo publicados até hoje, fruto da iniciativa Global Burden of Disease [Global Mortality from Firearms, JAMA 2018].





Como resultado dessa pesquisa, os autores notaram que entre 1990 e 2016, o número de mortes por armas de fogo no mundo foi maior que as mortes em zonas de conflito em quase todos os anos, com a exceção do ano de 1994, por conta do genocídio em Ruanda. Quanto maior acesso a armas, maior o numero de mortes por arma de fogo (vejam os gráficos). Adicionalmente a presença de algumas covariáveis que foram integradas no modelo influeciaram a força da associação: países produtores de drogas ilícitas ou que transportam essas drogas reduziam a variabilidade vista no modelo, fortalecendo a associação (por explicar parte da variabilidade desconhecida).


Outra covariável relevante foi o índice usado para medir desenvolvimento social dos países, chamado de SDI(social demographic index) que incorpora anos de educação, renda per capita, e taxa de fecundidade: quanto pior era esse índice, mais aguçada era a associação entre acesso a armas e mortes por armas de fogo (aumentando o fitness do modelo).






Notem no principal gráfico do estudo (que eu coloquei aqui), que países com alto nível de desenvolvimento sócio-econômico (alto SDI = estão em azul/verde) de modo geral têm menores taxas de mortes por arma de fogo mesmo com acesso a armas de fogo, enquanto países com baixo SDI (laranja-vermelho), à medida que liberam mais o acesso às armas vai-se progressivamente vendo mais mortes por arma de fogo (notem a diagonalidade da distribuição dos pontinhos laranha-vermelho partindo do zero X,Y.


Finalmente, ainda em relação a acesso a armas e homicídios, os autores lembram que em todas as culturas (países) há uma pequena porcentagem de indivíduos que desenvolvem sérios problemas psiquiátricos manifestos por impulsividade, agressividade, psicopatia e, o acesso a armas para esses indivíduos, que nem sempre são facilmente identificados pelo Estado, pode causar grande estrago em sociedade: O video de 8min que resume a pesquisa explica bem esse trabalho incrivel. Recomendo que assistam Está disponivel no site do JAMA!


Comentários metodologicos: É preciso cuidado ao analisar tendência e variação em taxas de mortalidade. Há uma série de recursos estatísticos que procuram incorporar alguns fatos: 1. taxas variam naturalmente ao longo do tempo, e o quanto de variação é significativa ou não precisa ser verificado com cuidado. 2. Outro ponto relevante é considerar que uma desaceleração no crescimento da taxa ainda se expressa com um slope ascendente (mas em menor intensidade): vide o fenômeno ocorrido no Brasil com o estatuto do desarmamento = a taxa e homicídios continuou subindo mas de forma menos intensa.



Quer ler esse artigo na íntegra?

Abaixo segue o link para acesso direto:

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2698492


Aqui segue o link para o vídeo que eles revisam os principais achados da iniciativa Global Burden of Disease sobre Mortalidade Global por arma de fogo.

https://edhub.ama-assn.org/jn-learning/video-player/16729075


Comentários e dúvidas são bem-vindos! Sugestões também !


Projeto Respira Evidência por Leticia Kawano Dourado


Declaração de conflitos de interesse: nenhum


1. The Global Burden of Disease 2016 Injury Collaborators. Global Mortality From Firearms, 1990-2016. JAMA.2018;320(8):792–814. doi:10.1001/jama.2018.10060


© 2019 by Leticia Kawano-Dourado

Icone LK.png