• Letícia Kawano-Dourado

É seguro relaxar o isolamento?

Como avaliar individualmente se já é seguro ir retomando a vida lá fora


A Covid19 imprimiu uma mudança sem precedentes na rotina de vida de muitos. Por meses, vários de nós (eu inclusive) vivemos uma rotina restrita para nos proteger ou proteger familiares próximos do risco de Covid19 grave.




Há três fatores fundamentais para serem avaliados na decisão de relaxar o isolamento para Covid-19:

- Como está a Covid-19 no seu município

- Seu risco individual e de seus familiares

- Qual o risco das atividades que serão retomadas


Esses três pontos são centrais na sua decisão, lembrando que o de maior peso é a situação da Covid-19 no seu município. Exemplo fictício: se a Covid-19 acabou completamente, não importa seu risco individual ou o risco das atividades, entende?


Como saber como está a situação da Covid-19 no seu município?


As fontes oficiais das prefeituras Brasil a fora são a melhor fonte, ou na falta, a informação fornecida pelos Governos Estaduais (quanto mais local, mais perto de você, melhor a informaçao para tomada de decisão individual). Note que mesmo que haja eventual intenção de mascarar dados :-(, é muitíssimo pouco provável de haver fraude nos dados. Então no máximo dará um pouco de trabalho de buscar as informações que você precisa. O que você precisa saber?

- número de casos novos nas últimas 24h ou média da semana

- comparar esse valor de agora com valores das últimas semanas para compreender qual a tendência local: de queda ou de subida


O consórcio da impressa tem consolidado os dados das prefeituras do país todo e apresentado esses dados consolidados mostrando médias nacionais. Também é confiável quando a menção da fonte de dados for o consórcio da imprensa.


Eventualmente você pode encontrar informações levemente diferentes de fontes confiáveis diferentes e isso pode apenas se dever ao fato de que o horario de fechamento dos casos seja diferente.


Acompanhe comigo o raciocínio: Se o numero de casos novos de Covid-19 está em queda no seu município e isso não se deve a um confinamento da população, ao contrário, as pessoas estão circulando até mais que antes, então estamos diante de uma queda verdadeira de transmissão, possivelmente decorrente de uma "imunidade de rebanho"nesse grupo de pessoas que estão de volta circulando na cidade. Nesse cenário favorável, o próximo passo é acessar seu risco individual/familiar e quais atividades pretende retomar para decidir por essa retomada.


Acessando o risco individual e familiar


São de baixo risco: pessoas abaixo de 50 anos e sem insuficiências de orgãos (insuficiência cardíaca, renal, respiratória (DPOC, fibrose pulmonar), sem câncer ou em uso de imunossupressores. Além disso sem obesidade, sem passado de derrame (AVC), sem diabetes, hipertensão ou passado de infarto do miocárdio.


Se você é de baixo risco e mora em um núcleo familiar de baixo risco, excelente cenário para retomar suas atividades externas.


Se você é do grupo de risco, ainda assim pode-se considerar flexibilizar, mas daí considere engajamento em atividades de menor risco, comento abaixo.


Nessa avaliação de risco, sempre me perguntam sobre jovens ou crianças com Covid19 grave (cenário raro na Covid). Vou compartilhar com você como eu me relaciono com esses riscos raros: Não há como levar em consideração para tomada de decisão essas baixíssimas probabilidades de eventos raros desfavoráveis. Se assim for, nossa vida se paralisaria, pois o problema não é só a Covid-19 mas uma infinidade de doenças, acidentes entre outras coisas, que também podem *raramente* acontecer. Desse modo, na minha tomada de decisão individual, oriento as pessoas a se prevenirem do que é comum. Se se tenta se proteger do que é raro, além de não valer o custo/benefício (pois há clara perda de qualidade de vida), seria paralisante, na minha visão.


Inclusive isso faz refletir que em algumas situações de sofrimento com o isolamento (crianças, idosos ou mesmo adultos jovens), mesmo sendo grupo de risco, o contato com outras pessoas pode representar saúde e não doença, contanto que tomados alguns cuidados. É preciso levar em consideração todo o impacto negativo emocional (que influencia em saude fisica) na hora de avaliar o relaxamento do isolamento.


Outros pontos importantes:

Encontrar pessoas que já tiveram Covid19 é seguro

Também é um cenário bem seguro, pois sabemos que a maioria das pessoas fica imune, ao menos por 6 meses ao vírus. A única forma que uma pessoa que está imune à Covid pode transmitir é servindo de fômite (superficie contaminada): por exemplo, alguém espirra em cima da pessoa imune, outra pessoa vem e encosta na roupa dessa pessoa imune levando a mão nos olhos/nariz/boca e se contamina.

De todo modo, recomendo que se cuidem em especial se há grupos de risco participando desse encontro, pois não sabemos tudo sobre Covid19 ainda.

Encontrar pessoas que que NÃO estão com Covid19 é seguro

A trabalheira aqui é garantir a ausencia de Covid19, por que? porque há os assintomáticos e os pré-sintomáticos. Como fazemos para garantir que alguém NÃO está com Covid? Há algumas formas: - A melhor: faz-se um isolamento caprichado por 14 dias. Após esse período, são desprezíveis as chances de se estar com Covid.

- Aceitável: faz-se um isolamento caprichado por 7 dias (a maioria dos casos de Covid incubam por no maximo 5 dias), então esse isolamento caprichado de 7 dias reduz MUITO as chances de Covid.

- fazer um RT-PCR para Covid ajuda nesse caso? O RT-PCR para Covid (o teste do cotonete) ajuda a informar que naquele momento que o teste foi realizado não se está transmitindo Covid mas não garante que no dia seguinte ou nos demais isso não possa passar a acontecer. Então é uma informação parcialmente útil assim isoladamente e para ajudar a decidir sobre encontrar ou não com familiares.



Qual risco das atividades que se pretende retomar?


Atividades ao ar livre sem algomeração são bastante seguras Nesse tempo de pandemia, temos visto que ao ar livre o risco de transmissão é bem baixo. Isso fica ainda melhor se todos estão de máscara simples e cuidando de higiene de mãos. Quer encontrar familiares? Que tal um parque, uma beira-mar ou um quintal, todos de mascara simples e mantendo uma certa distância (1 a 2 m)? Esse tipo de encontro é bem seguro, pode ser feito com frequência por exemplo! Se for querer compartilhar uma refeição, sugiro que na hora de comer, mantenham distância uns dos outros.


Exercícios ao ar livre são bastante seguros

Como por exemplo caminhada, corrida, bicicleta etc. O ambiente aberto é o grande fator protetor. Agora se você vai se exercitar ao lado de alguém (que não é da sua "unidade de isolamento"), é possível que parte da proteçao do ambiente aberto se perca pois vocês vão compartilhar uma mesma proporção de ar expirado/inspirado por tempo prolongado. Considere isso na sua tomada de decisão - inclusive, o uso de máscara simples atenua esse problema. As máscaras cirúrgicas são mais confortáveis para respirar no cenário de exercício e mais efetivas - ficou úmida, troque por outra.


máscara cirúrgica simples, tripla (três camadas)

Natação também é seguro

Nada aponta para o risco de transmissão de SARS-CoV2 por piscina, lagoa ou mar. Além de não haver evidência de transmissão por água, ocorre também que em sendo o volume da piscina grande, se há alguém infectado, aquele conteúdo se dilui (veja dillution effect), além de que a água da piscina em geral não é inalada ou tomada (assim esperamos!). Na França por exemplo, a recomendação nas piscinas públicas é de não haver mais de 1 pessoa por m2 de piscina, para justamente garantir baixo risco de contágio por água. O problema em atividades aquáticas são as aglomerações nos arredores da piscina e/ou no vestiário - nesses locais, siga os cuidados de distanciamento, máscara e higiene de superfícies. O sol também é outro fator protetor que acelera a inativação do vírus no ambiente externo.


Ir para a praia é seguro

O sol, o vento, tudo isso trabalha a favor de reduzir a transmissão de Covid19. No entanto, se há aglomeração, há um aumento no risco de transmissão. Abaixo, recomendação do CDC de uso racional da beira mar:


Do site do CDC, uso da praia de forma racional no novo normal com a Covid nas nossas vidas

Academias

Esses locais vão precisar de estabelecer novas etiquetas de segurança biológica. Então vamos recapitular: você já acessou como a transmissão de Covid19 está no seu município, já acessou seu risco individual/familiar, e agora vai acessar o risco da atividade que vai fazer. Musculação em um ambiente ventilado, com restrição no número máximo de pessoas por vez, todos usando máscara e higiene de superfícies e mãos faz da musculação um ambiente seguro. A melhor mascara para exercício é a máscara cirúrgica por que é bem respirável e eficiente. Quando estiver úmida, troque por outra.



Exercícios físicos em grupo em ambientes fechados *pequenos* merecem mais cautela, como é o caso por exemplo aulas de bike indoor, aulas de dança, cross fit etc, e o motivo é que aumenta-se a intensidade da respiração (aumenta chance de infecção) em uma aglomeração de pessoas fechadas num ambiente pequeno. Que tal levar as aulas de bike indoor para o lado de fora? Janelas super abertas? Criatividade é a alma da coisa aqui.


Outro ponto a discutir, que é assunto complexto, é admitir para aulas alunos que já tiveram Covid19 comprovado (pessoas que tiveram RT-PCR positivo, ou pessoas com sorologia positiva e com sintomas prévios), esses são imunes na sua esmagadora maioria, e por tanto podem se aglomerar sem aumentar o risco de surto de Covid19.


o que acham dessa adaptação feita para malhação em grupo?

Salão de beleza

Em um formato "novo normal" também pode ser seguro: ambiente ventilado, retringir o número máximo de pessoas por vez, todos de máscara, pessoas com qualquer sintoma não devem ser admitidas, e evitar conversar animada e intensamente (no celular ou entre si) - pois se houver qualquer um infectado, conversar aumenta a excreção de virus no ambiente.

Para manicures, a placa de acrílico entre clientes ajuda a reduzir o contato.


Crianças brincarem juntas

O risco para as crianças é mínimo. O que se precisa avaliar é o risco da família dessas crianças. Uma alternativa intermediária para famílias de risco, se a Covid ainda é um problema na sua região, é o "contact clustering": colocar crianças para brincar juntas, sempre as mesmas crianças, reduzindo assim riscos. Tenho um vídeo sobre contact clustering aqui.


Retorno do funcionário doméstico, tenho um post específico aqui


Retorno dos cuidadores de idosos, um vídeo aqui.


Espero que com esses exemplos acima você tenha pegado a lógica de análise de risco nesse relaxamento do isolamento para Covid19 no Brasil. Reafirmo para você que nos hospitais da maior parte das capitais brasileiras, os casos de Covid19 estão em queda (vamos ver como as coisas se seguem a medida que a pop retoma sua vida). Mantenho você informado no meu instagram.

Cuidem-se e fiquem bem!



Declaração de conflitos de interesse: nenhum


As opiniões aqui veiculadas representam minha posição pessoal.

Eu sou Leticia Kawano Dourado, doutora em pneumologia pelo HCFMUSP, médica pneumologista e pesquisadora.


Peço desculpas por eventuais erros de ortografia e/ou gramaticais: estou precisando acomodar três línguas de forma rotineira (francês, português, e inglês)


Projeto Respira Evidência por Leticia Kawano Dourado




© 2019 by Leticia Kawano-Dourado

Icone LK.png